Depois de dois meses de queda, setor de serviços cresce 2,4% em novembro

Por Agência Arko Advice para O Brasilianista

13 de janeiro de 2022

 

Mês foi de recuperação depois de uma perda acumulada de 2,2%

O setor de serviços cresceu 2,4% na passagem de outubro para novembro, depois de dois meses de taxas negativas, recuperando a perda acumulada de 2,2%. Com o resultado, o setor ficou 4,5% acima do patamar pré-pandemia de covid-19, registrado em fevereiro de 2020. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços, divulgada nesta quinta-feira (13/1) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo o IBGE, quatro das cinco atividades pesquisadas avançaram no mês de novembro, com destaque para serviços de informação e comunicação (5,4%), que recuperaram a perda de 2,9% verificada nos dois meses anteriores. Com isso, a atividade se coloca num patamar 13,7% acima de fevereiro de 2020.

O setor de tecnologia da informação cresceu 10,7% de outubro para novembro, maior taxa desde janeiro de 2018 (11,8%), ficando 47,4% acima do patamar pré-pandemia. De acordo com o IBGE, o segundo impacto positivo no índice de novembro veio da atividade de transportes, que cresceu 1,8% e praticamente recuperou a perda de 1,9% observada entre setembro e outubro. Com isso, a atividade está num patamar 7,2% acima de fevereiro de 2020.

Com alta de 2,8%, os serviços prestados às famílias representaram o terceiro impacto positivo no mês. Por outro lado, com queda de 0,3%, os serviços profissionais, administrativos e complementares apresentam a quarta taxa negativa seguida, acumulando perda de 3,7%.

Regionalmente, 18 das 27 unidades da federação tiveram expansão no volume de serviços entre outubro e novembro de 2021. Entre os locais com taxas positivas, o impacto mais importante veio de São Paulo (4%), seguido por Rio de Janeiro (1,6%), Santa Catarina (3,7%) e Paraná (2,1%). Em contrapartida, o Mato Grosso do Sul (-4,0%) registrou a principal retração em termos regionais.

O índice de atividades turísticas subiu 4,2% frente a outubro, sétima taxa positiva consecutiva, acumulando ganho de 57,5%. O segmento ainda se encontra 16,2% abaixo do patamar de fevereiro do ano passado.

 

Matéria por Agência Arko Advice para O Brasilianista publicada em 13 de janeiro de 2022.

faça parte da fundação

Inscreva-se e faça parte como um membro da Fundação. Contamos com seu apoio e participação.