O Princípio da Prudência

O conservadorismo é fator essencial para o desenvolvimento maduro de uma sociedade. Em última instância define que as mudanças não serão realizadas de forma súbita ou irrefletida. Significa que toda mudança será realizada de forma gradual, ponderada e debatida, preservando-se o princípio democrático como pilar essencial deste processo. Longe de dogmas ou retóricas radicais, o conservadorismo se posiciona como a voz da razão e da ponderação diante das paixões políticas que cegam a sociedade.

Longe de qualquer pauta de costumes, o conservadorismo significa que a política deve acompanhar os princípios da prudência, estabilidade e moderação, que devemos conservar os princípios norteadores de uma sociedade virtuosa, que significa a garantia dos instrumentos democráticos, do livre mercado, da pluralidade de opinião e limitação do poder do Estado, onde estão inseridos os elementos norteadores do direito à vida, liberdade e a propriedade e aquilo que se convencionou chamar de Direitos Humanos, enxergando o indivíduo como elemento essencial da sociedade. 

As grandes democracias do mundo são também conservadoras, pois garantem os princípios essenciais de sociedades livres e plurais, como eleições livres e regulares e uma ampla gama de liberdades. Russel Kirk, o mais importante pensador conservador dos tempos modernos, dizia que o conservador compreende que a estabilidade e a mudança devem ser reconhecidas e reconciliadas em uma sociedade robusta. Uma sociedade robusta, entende-se, sedimentada por seus valores e práticas.

Infelizmente ainda há muita confusão sobre o conservadorismo, erroneamente associado simplesmente a pautas morais. Um conceito simplista e equivocado, pois confunde-se o princípio de que existe uma ordem moral duradoura e o fato de que os conservadores aderem ao costume, à convenção e à continuidade, associando estes fatos, de forma errada, a preceitos obscuros e pautas retrógradas e ultrapassadas, já vencidas pelo conservadorismo, que aceita a mudança de forma gradual e prudente.

Na economia, os conservadores se orientam pelo respeito às regras, pela estabilidade e o livre comércio, adotando a liberdade econômica como elemento essencial limitador do poder do Estado, o que afasta, por si mesmo, os conservadores de autocracias e governos autoritários. Uma condução conservadora da economia prioriza a estabilidade jurídica, a livre concorrência e atrai investimentos, gerando empregos e oportunidades. Quanto menos sobressaltos na economia, mais ganhos tem a população.

Conservadorismo significa o princípio da prudência, estabilidade e previsibilidade aplicados na política e nas relações econômicas. Alinha-se com democracia, limitação do poder dos governos e liberdade econômica para os cidadãos, garantindo poder para a sociedade, democracia e manutenção das instituições. Rejeita as revoluções, mudanças bruscas e irrefletidas. O conservador busca uma sociedade ponderada, uma política prudente e uma economia estável, elementos que contribuem para maturidade da sociedade e um futuro próspero, longe de um coletivismo involuntário e perto da responsabilidade individual. 

 

faça parte da fundação

Inscreva-se e faça parte como um membro da Fundação. Contamos com seu apoio e participação.